7 de ago de 2012

Sinto você aqui, não sei por quê. É como se estivesse aprisionada, encarcerada, com gazes enfaixando sua boca. Gritando estridentemente, não obstante não estar sendo ouvida. Não me sinto tão só, mas quero mais que sua presença muda, quero escutar sua voz inteira.


Nikku