21 de set de 2015

Espiralar

Desconecta o rosto do meu dorso
Arranca teus olhos de minha pele
Ofereça três, um, quatro abraços ao nada
De mim tão longe rode tuas órbitas absurdas
Não rasgue o que é de papel e sim plástico
Feche teus ossos à voz de chumbo
Não permita que as ondas ressonem no teu cálcio
Endureça, desobedeça, mas saiba
Momento de espiralar LIBERTA

Raízes? 
Que sejam apenas aéreas

Níkku

14 de jul de 2015

Med dagen

Mesmo distante, estás perto.
Mesmo sem nos falarmos, lembranças não cessam.

E assim tem sido, há anos.
Assim espero que seja, por mais tempos.
Nossas mãos, dedos, falanges, unhas, para desenhar o porvir.
Cores, flores, um frio, um fio de cabelo misto quente-frio.

Felicidades: fotografe-as.

Gratulerer

Níkku

14 de mar de 2015

Porque...

Porque...

Porque poesia se faz onde o coração grita
Porque admonições encarceram e lacram
E a poesia vem com suas garras majestosas
Lacerando e infligindo qualquer tormento.
Porque dos meus olhos sangram versos de contemplação,
O estado da mente de onde brotou em profusão 
Calmarias, sabores, o não dito, o que não está a postos.
Porque não é preciso estar pronto para fazer poesia
Necessário é só provar (mas quem precisa?) a si mesmo que nunca se estará pronto
Para fazer poesia.

[A ti, sabes bem.]

Feliz dia da poesia.

Níkku

8 de jan de 2015

Encéfalo

O relógio fez questão
De escalpelar minhas coronárias

Meu sangue, cada vez mais claro
Menos oxigênio

O vento, que antes acalentava,
Faz escorrer gota mais ácida de minha espinha

O suor, mais salgado
A cabeça fustigada num muro

Massa cinzenta que escorre
Brilha com sangue claro
No muro de asfalto

Níkku

6 de jan de 2015

Ophidia

A palavra mais cobra
(E eu digo cobra pegando o senso comum de ruindade, pois adoro o bicho. Possui uma sedução, um perigo, um tudo!)
Mas a palavra mais cobra
Que silva tanto em sua grafia
É desassossego.
É tanta curva, tanto ‘s’,
Tanto rodopio de emoção!
Os sentimentos sibilam depois que nosso olho entra em contato com os tantos ‘s’ sem sossego;
É quase como se a alma entrasse num andamento em presto.
A tinta rasga os meus olhos ao ver tanto ‘s’ ausente de sossego
E é isso o que, ao final de contas, a tinta faz
Tinge nossos (ou o meu) corações de preto.

Porque sim, eu escolho o preto.

Níkku