21 de set de 2015

Espiralar

Desconecta o rosto do meu dorso
Arranca teus olhos de minha pele
Ofereça três, um, quatro abraços ao nada
De mim tão longe rode tuas órbitas absurdas
Não rasgue o que é de papel e sim plástico
Feche teus ossos à voz de chumbo
Não permita que as ondas ressonem no teu cálcio
Endureça, desobedeça, mas saiba
Momento de espiralar LIBERTA

Raízes? 
Que sejam apenas aéreas

Níkku