4 de jul de 2011

Esqueça!

Sua voz se esganiça como uma águia rasgada,
Seus olhos perderam o brilho como um espelho arranhado.
As lágrimas lavam o rosto que um dia tão imaculado foi.
Só esperava eu que tais lágrimas lavassem também o sentimento,
A Depressão de ter o delírio de perder alguém.
A garganta é arranhada pelos gritos nunca dados, tão inúteis...
Tão inaudíveis.

E agora só peço que... esqueça...
Seria demasiada tortura?

Entenda... e esqueça.

Nikku

Nenhum comentário:

Postar um comentário